O rei do POP


Filho de Joseph, mais conhecido como Joe, e Katherine Jackson, o cantor foi o sétimo dos nove filhos do casal. Seus irmãos chamam-se Jackie, Tito, Jermaine, Marlon, Randy, Rebbie, La Toya e Janet.

O pai de Michael Jackson trabalhava em uma usina siderúrgica, mas, nas horas vagas, tocava guitarra e era empresário musical sem sucesso. Katherine era testemunha de Jeová e tocava piano na igreja.

Jackson 5

Os irmãos Jackson cresceram ligados à música e, de acordo com Katherine, desde bem novos eles gostavam de cantar e pegar escondidos a guitarra do pai. A mãe de Michael ouviu-o cantando com cerca de cinco anos, enquanto ele arrumava a cama, e ficou encantada com o talento dele. Ela contou esse episódio para o marido.

Desde então, Joe Jackson percebeu a aptidão dos filhos para a música. Sendo assim, sob a supervisão dele, a partir de 1964, as crianças e os adolescentes, conhecidos como os Jackson Brothers, passaram a se apresentar em bares, exposições e, segundo relatos, até em casas de strippers.

Jackson 5

Curiosidade: o nome Jackson 5 foi uma sugestão de uma contratante de um show para um desfile de moda. Como muitos irmãos faziam sucesso nessa época, ela sugeriu que, em vez de os irmãos da família Jackson se apresentarem como Jackson Brothers, usassem Jackson 5 para serem diferentes.

Michael, mais conhecido como Little Michael (Pequeno Michael), iniciou as apresentações musicais com os Jackson 5 aos seis anos de idade. Além de ter uma voz peculiar e muito afinada, ele se destacava dos demais irmãos pela naturalidade ao dançar e por criar passos de dança.

O sucesso dos Jackson 5 começou no final dos anos 1960, quando eles assinaram com a gravadora norte-americana Motown Records. Assim, os garotos passaram a participar de vários programas de TV de sucesso, como o The Ed Sullivan Show.

Já conhecidos do grande público, no início da década de 70, os Jackson 5 ganharam um desenho animado – o primeiro a ter protagonistas negros. Os meninos estiveram na parada de música, com singles pop, entre os quais se destacam:

  • I want you back (1969)
  • All be there (1970)
  • ABC (1970)

Em meados da década de 70, Jermaine saiu da banda para seguir carreira solo. O grupo passou a chamar-se The Jacksons. Michael seguiu destacando-se dos demais irmãos tanto na voz como nas suas performances, especialmente em programas de TV. Estudos indicam que foi ele quem popularizou a chamada “dança do robô”.

O sucesso dos The Jacksons veio mais ao final dos anos 1970 e início dos 1980. Confira as principais músicas:

  • Enjoy yourself (1976)
  • Show you the way to go (1976)
  • Can you fell it (1981)
  • Blame it on the boogie (1978)

Carreira solo de Michael Jackson

Paralelamente à carreira que mantinha com os Jackson 5 quando criança,  Michael escrevia músicas da sua autoria. Ele fez estes quatro álbuns solo:

  • Ben (1972)
  • Got to be there (1972)
  • Music & me (1973)
  • Forever Michael (1975)

Em 1978, Michael Jackson participou do filme “The Wiz”, uma versão de “O Mágico de Oz” somente com atores negros. Durante essa produção, ele conheceu Quincy Jones, produtor musical de renome, que, em 1979, produziu seu álbum “Off the Wall”.

Off the wall

Com esse disco que misturava Black Music e Rhythm and Blues (R&B) e que tinha músicas dançantes, o cantor obteve muito sucesso, ganhando vários prêmios, pois conseguiu desviar-se da imagem de menino prodígio que o acompanhara até então.

Com Off the Wall, Michael Jackson ganhou os prêmios Grammy de cantor de Soul/R&B, canção de Soul/R&B com “Don’t Stop ‘Til You Get Enough”e álbum de Soul/R&B.

O álbum vendeu mais de sete milhões de cópias e incluiu quatro top 10 singles pop. Entre as músicas de destaque do disco, estão:

Don’t stop ’til you get enough
• Rock with you
• She is out of my life
• Off the wall

Thriller

Michael Jackson já era um dos cantores negros mais conhecidos dos EUA no início dos anos 1980. Chegou a fazer parcerias de sucesso, como em 1982 com o ex-beatle Paul McCartney, com o qual lançou os singles “The Girl Is mine” e “Say, say, say”.

Em 1982, lançou Thriller, o álbum mais vendido da história da música, considerado, inclusive, uma obra-prima. Com o disco, o futuro rei do pop tornou-se o principal cantor negro do mundo e da década de 1980.

Considerado revolucionário à época pela mistura de ritmos e estilos musicais como o pop e o rock, o disco Thriller teve enorme sucesso graças à exibição dos videoclipes das canções no recém-criado canal musical Music Television (MTV). As produções tinham efeitos especiais, coreografias e roteiros, chegando a ser minifilmes.

Os videoclipes do disco Thriller ajudaram a aumentar o espaço de artistas negros na MTV. Entre os números do disco, podemos citar:

  • 50 milhões de cópias
  • 11 indicações e 8 prêmios Grammy (entre os quais, álbum do ano)
  • 7 American Music Awards
  • 37 semanas na primeira posição dos discos mais vendidos nos EUA.

Thriller de Michael Jackson, lançado em 1982, é o disco mais vendido da história da música 

Pela primeira vez na história musical, um artista contou com quatro músicas de um mesmo álbum entre as dez mais tocadas nas paradas de sucesso dos EUA e do Reino Unido. Veja as principais músicas de Thriller:

  • Thriller
  • Billie Jean 
  • Beat it
  • Wanna be startin’ somethin’
  • Human nature

Curiosidade: com o disco Thriller de Michael Jackson, nasceu o clássico passo Moonwalk, que é quando o bailarino se mexe para trás enquanto parece caminhar para frente. Desde então, o Moonwalk virou a marca registrada do cantor nos videoclipes e quando se apresentava ao vivo.

Acidente em gravação 

Um dos episódios mais conhecidos do Rei do Pop foi quando, em 1984, nos EUA, durante a gravação de um comercial para a marca de refrigerantes Pepsi, ele sofreu queimaduras de segundo e terceiro graus no couro cabeludo. Ele teve que fazer uma cirurgia de enxerto de pele e implante de cabelo.

A Pepsi ressarciu o cantor com um milhão de dólares, dinheiro que ele usou para criar a Associação Michael Jackson Burn Center para cuidar de crianças vítimas de queimadura.

We are the world

Solidário às causas sociais, em 1985, Michael Jackson participou da campanha mundial da organização “USA for Africa” contra a fome no continente. Ele escreveu a música “We are the world” junto com o cantor Lionel Richie.

A canção foi gravada com mais de 40 cantores. O disco do qual faz parte a música vendeu mais de 20 milhões de cópias em todo o mundo. Foram arrecadados mais de 75 milhões de dólares para ajudar a população africana que passava fome.

Bad

Em 1987, Michael Jackson lançou mais um disco de sucesso: Bad, que alcançou mais de 25 milhões de cópias. Assim como em Thriller, o cantor investiu maciçamente em videoclipes.

Principais músicas do disco Bad:

  • Smooth criminal
  • I Just Can’t Stop Loving You
  • Man in the mirror
  • The way you make me feel
  • Bad (coreografia foi criada em apenas dois dias)

Curiosidade: tanto no videoclipe da música Smooth Criminal quanto nas apresentações ao vivo, Jackson e seus bailarinos faziam um passo no qual se inclinavam 45 graus em direção ao chão. Para isso, eles usavam um calçado especial, cuja sola continha uma pequena entrada que se encaixava em ganchos no palco, ajudando-os a se equilibrar. O método para criar a ilusão de antigravidade foi patenteado.

Em 1988, Michael Jackson lançou o livro autobiográfico Moonwalker, participou do filme homônimo e sua imagem passou a constar em videogames.

Rei do pop

Pela primeira vez, em 1989, ao dar um prêmio a Michael Jackson, a atriz Elizabeth Taylor, muito amiga dele, chamou-o de “o rei do pop”. Desde então, o cantor começou a ser chamado por esse apelido no mundo todo.

Dangerous

Em 1991, Michael Jackson lançou o álbum Dangerous, que alcançou mais de 29 milhões de cópias. Veja as principais músicas e curiosidades:

  • Black or White: o videoclipe contou com a participação do astro mirim Macaulay Culkin, conhecido pelo filme Esqueceram de mim.
  • Jam: Michael Jordan, astro do basquete americano, participou do videoclipe.
  • Remember the time: o videoclipe contou com o ator Eddie Murphy, o jogador Magic Johnson e a modelo Iman. 

Eventos

Em 1992, durante a Guerra do Golfo, Michael Jackson escreveu a música Heal the world. Em 1993, o rei do pop popularizou o show do intervalo do Super Bowl, final do Campeonato da Liga Nacional de Futebol Americano.

Últimos trabalhos

Em 1995, Michael Jackson lançou seu primeiro álbum de compilação HIStoryPastPresent and FutureLivro 1. Nesse ano, o cantor veio ao Brasil para gravar o videoclipe da música “They Don’t Care About Us”, no Pelourinho, em Salvador, na Bahia.

Em 2001, o rei do pop promoveu seu primeiro disco de estúdio após anos de hiato. Chamado de  Invincible, não teve grande sucesso comercial.

Em 2008, Michael Jackson lançou Thriller 25, um relançamento do 25º aniversário de álbum best-seller Thriller, que incluiu regravações com artistas de sucesso à época. Em março de 2009, o cantor anunciou uma turnê mundial, começando por Londres, capital da Inglaterra, a qual não aconteceu.

Vida pessoal de Michael Jackson

Infância

Apesar do sucesso prematuro, Michael Jackson teve uma infância infeliz e solitária. Em uma entrevista concedida à apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, em 1993, a qual foi vista por mais de 90 milhões de espectadores no mundo inteiro ao vivo, o cantor disse que, na infância, quando ia de carro ao estúdio Motown e via outras crianças no parque divertindo-se, ele chorava.

Relação com pai

Segundo a entrevista, Joe, o pai de Michael Jackson, era muito rígido com ele e com os irmãos, causando-lhes medo. Como Michael dançava melhor, ele o usava como exemplo e, se os irmãos não dançassem como ele, apanhavam de cinto.

O cantor afirmou ainda a Oprah que Joe batia nos filhos e, nas palavras de Michael Jackson, o homem assustava-o tanto que ele vomitava. Ainda na entrevista, o rei do pop disse que o pai era frio e nunca o deixava chamá-lo de pai, somente de Joe.

Em 2018, após a morte de Joe, o médico particular de Michael, Conrad Murray, afirmou que Joe castrou quimicamente o seu filho para “manter sua voz estridente”.

Vitiligo

Na década de 80, proporcionalmente ao estrondoso sucesso de Michael Jackson na música, boatos acerca da sua pessoa pipocavam na mídia, em especial as que envolviam a sua aparência. Entre os mais conhecidos, está o que indica que ele tentou clarear sua pele e afinar seus traços, por ter vergonha de ser negro.

Porém, na entrevista a Oprah, o cantor disse que esses boatos não procediam. Michael afirmou que a sua pele estava ficando cada vez mais clara por causa da sua doença, vitiligo, diagnosticada em 1986 e que causa perda da pigmentação da pele.

Curiosidade: desde que descobriu que tinha Vitiligo, Michael Jackson começou a ter manchas, por isso passou a usar maquiagem para tentar atenuar as suas imperfeições e igualar a pele. Além disso, passou a usar luvas brilhantes, as quais se tornaram marcas registradas do cantor.

Plásticas

Michael Jackson 90

Michael Jackson em novembro de 2009

 

Sobre o boato das plásticas, na entrevista com Oprah, Michael foi enfático ao afirmar que somente tinha feito duas no nariz para ajudá-lo a respirar melhor e atingir notas mais altas. Ele contou ainda que os traços estavam mais finos porque ele tinha feito dieta para perder peso e, com isso, dançar com mais facilidade.

Outros boatos que surgiram e que foram veementemente desmentidos pelo rei do pop eram que ele dormia em uma câmara de oxigênio para retardar o envelhecimento.

Por todos esses boatos e pelo comportamento considerado excêntrico pela mídia, o rei do pop Michael Jackson ganhou pela imprensa o apelido Wacko Jacko, que seria equivalente a Michael louco.

Rancho Neverland

Em 1988, o cantor construiu, na Califórnia (EUA), um rancho chamado de Neverland. No terreno havia roda-gigante, carrossel, montanha-russa, cinema, entre outros brinquedos. O cantor disse que, no Neverland, poderia curtir um pouco da infância que ele nunca teve. O espaço comportava visitas de crianças carentes e doentes.

Acusações

Em 1993, Michael Jackson foi acusado de ter abusado sexualmente de um jovem de 13 anos. Por meio de transmissão diretamente do rancho Neverland, o cantor negou as acusações, mas, para se ver livre, pagou 20 milhões de dólares à família do menino.

Um tempo depois, descobriu-se que, na verdade, o pai do garoto estava chantageando o astro, pois estava com ciúme do filho. Na época, mais de 30 crianças foram entrevistadas e nenhuma disse ter sofrido abusos por parte do cantor.

Anos depois, La Toya, irmã de Michael, acusou-o de ser pedófilo e disse que mostraria provas a quem pagasse 500 mil dólares. Depois, ela se retratou dizendo que mentiu porque estava sendo ameaçada por seu então marido.

Casamentos e filhos

Michael Jackson casou-se duas vezes. A primeira foi em 1994 com Lisa Marie Presley, filha do astro Elvis Presley, e a segunda, dois anos depois com a enfermeira Debbie Rowe, com quem teve seus dois filhos: Prince e Paris.

Um dos episódios da vida do rei do pop muito comentados foi quando, em 2002, ele sacudiu um dos seus bebês em um hotel em Berlim, na Alemanha.

Morte

O rei do pop morreu em 25 de julho de 2009. Segundo o Departamento de Medicina Legal de Los Angeles, a causa da morte foi overdose de medicamentos. Michael injetou alta dose de Propofol, um anestésico, combinado com remédios para ansiedade e insônia.

O médico Conrad Murray foi condenado por homicídio culposo, sem intenção de matar, por ter dado os medicamentos para Michael. Murray ficou preso por dois anos.

Revisão: Bruna de Mello

Autor/Vídeo/Postagem: Agatha Costa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>